Home

Ótimo exemplo de um Generation Flux

[ Sem comentários | 1 de outubro de 2013 ]

Em 2012 a revista FAST COMPANY apresentou ao Mundo pela primeira a GENERATION FLUX, que no Brasil acabou virando a Geração Fluída.

Para quem ainda não leu, recomendo a matéria. Mas, resumindo, trata-se da primeira geração de pessoas no Mundo que não é definida pela sua data de nascimento, mas sim, pela sua capacidade de adaptação. Ou seja, não importa se tem 18 ou 70 anos, o que importa é se esta ou não adaptado ao Novo Mundo.

Adaptação? Sim! Estamos todos em profundo processo de adaptação ao Mundo Novo de incertezas e inseguranças. Mundo onde a única certeza é de que não haverá mais certezas. Simples assim. Complexo assim. E, quanto a nós o único caminho é “Adaptar-se ou morrer!”.

E como se adaptar? Desenvolvendo várias expertises e não apenas uma e aprendendo a ganhar dinheiro com ela. Vou citar 3 motivos principais para justificar a adaptação, mas seguramente poderia citar muitos outros.

  1. Ninguém tem apenas um talento na vida. Logo, porque ganhar dinheiro apenas com um deles?
  2. Hoje é possível ganhar dinheiro fazendo quase tudo que se possa imaginar na vida, logo, porque ganhar dinheiro fazendo algo que não gosta e não irá se engajar?
  3. Você é ou pode ser o maior especialista no Universo em uma profissão que deixará de existir amanhã, ou porque foi substituída por um robô físico ou digital, ou porque foi extinta mesmo.

Marina V. Shifrin é um ótimo exemplo da generation flux. Em seu site pessoal se define seus 3 principais talentos: Escritora, Humorista e Garçonete. Mas também gosta de fotografar. Marina ganhar dinheiro fazendo as 3 coisas.

Marina trabalhava há dois anos em uma produtora de conteúdo e notícias, mas seu chefe cobrava dela em seus trabalhar apenas quantidade. Quantas visualizações? Quantas curtidas? Quantos compartilhamentos?

Mas Marina, assim como eu, tem uma crença bastante diferente, de que no digital a qualidade e muito mais importante do que a quantidade. É ou deveria ser o principal objetivo de qualquer ação, afinal, a quantidade vem por tabela e melhor, qualificada…

E, sendo assim, resolveu gravar um último vídeo para expor sua crença ao chefe e ao Mundo, antes de pedir a demissão por total falta de engajamento com o projeto e sua crença, ainda que deixe claro se tratar de uma ótima empresa.

Com qualidade, ela passou sua visão e a quantidade veio. Aliás, em forma de 5 milhões de visualizações e 36 mil likes no YouTube em 3 dias.

Abaixo o vídeo.

por: Fabio Madia

Late check-out

[ Sem comentários | 5 de setembro de 2013 ]

Como adoro quando me deparo com ideias simples e absolutamente maravilhosas.

A rede de hospedagem Australiana Art Hotel Group é liderada pelo jovem promotor imobiliário e colecionador de arte Will Deague, que criou três hotéis boutique do chão em menos de um ano.

Cada um dos três hotéis boutique de luxo são inspirados e dedicados a um artista australiano; Adam Cullen, John Olsen e Charles Blackman. Os hotéis encarnam o estilo e as características individuais dos artistas e oferecem muito mais do que uma boa noite de sono, uma experiência diferenciada.

Mas como melhorar a taxa de ocupação de uma rede com poucos meses? Estendendo o período de permanência dos hóspedes! O Hóspede atual só precisa sair do quarto quando houver um novo hóspede para ocupá-lo. Ou seja, paga por dias, mas pode ganhar horas ou até mais dias para curtir o hotel!

Vejam abaixo o case. Sempre tive vontade de conhecer a Austrália. E quando conseguir, já sei onde vou querer ficar.

por: Fabio Madia

O último pedaço é para você

[ Sem comentários | 5 de setembro de 2013 ]

Todos têm algum tipo de esquisitice. Uma das minhas é não ligar para chocolate. Na verdade estou um passo além disso, simplesmente não gosto mesmo. Ok, sei que é esquisito.

Mas independente de ser ou não chocolate, toda vez que como alguma coisa que gosto muito, sempre deixo o melhor para o final. Na verdade, este é um hábito comum a todas as pessoas.

Foi justamente pensando nisso que a Mondelez através do seu chocholate Milka fez uma ação incrível na França. Fez um lote de barras de chocolate ao leite faltando um barrinha, em alusão a ser a última.

Dentro da embalagem, no lugar do pedaço que faltou, um código de barras e uma url que levava o usuário a um hotsite onde poderia decidir receber em casa o “último” pedaço, ou enviá-lo com uma mensagem de carinho  a uma pessoa amada

Abaixo o vídeo

por: Fabio Madia

Salvem os Drive-Ins

[ Sem comentários | 16 de agosto de 2013 ]

Não sou da época dos Drive-Ins em São Paulo, mas confesso que gostaria de ter vivido essa época mais romântica do Mundo.

Em 2011 o Fantástico fez a linda matéria abaixo sobre o último Cine Drive-in do Brasil, em Brasília. Emocionante.

Nos Estados Unidos ainda restam 368 Drive-ins, mas que hoje se encontram literalmente em “xeque”. Têm até o final do ano para se adaptarem ao vídeo digital ou simplesmente morrerão pela falta de conteúdo.

Normalmente os proprietários dos Drive-ins são famílias de classe média, afinal, não é um negócio dos mais lucrativos e que terão enorme dificuldade de bancar os 80 mil dólares do novo equipamento digital.

Mas os EUA têm o lindo hábito de preservar sua história, sua cultura, o que infelizmente não se vê por aqui. E é justamente aqui que nasce o lindo projeto da HONDA, que irá dar 5 equipamentos para os Drive-Ins mais votados e esta levantando fundos para tentar salvar a maior quantidade possível dos demais 363 Drive-Ins.

O nome do projeto é PROJECT DRIVE-IN – http://projectdrivein.com/

Abaixo o vídeo.

por: Fabio Madia
Acquistare Cialis here.